Ocorreu um erro neste gadget

14 de julho de 2011

Entender a realidade 







A solução não é de destruir a pessoa com atitudes más, mas não concordar com sua maldade e com seus atos destruidores.
A sabedoria é fundamental em tudo que realizamos na vida. Aliás, o mundo moderno está focalizado no saber, no conhecimento e no entender a essência das coisas. Ser sábio é aprender de Deus como estar aberto e misericordioso para com o mundo e as pessoas que nos envolvem.
Ser sábio é ter esperança diante daquilo que nos cerca e com que nos relacionamos. Isto não é fácil quando temos que nos adaptar às novas realidades sem perder as riquezas do passado. Em tudo isto não podemos perder de vista a justiça, a misericórdia e a solidariedade para com as pessoas.
No meio de tanta coisa boa que existe, colocada diante de nós, convivemos também com a violência, com as injustiças e desonestidades. É como a parábola do trigo plantado no campo e a presença do joio em seu meio. Os dois caminham um ao lado do outro, fato que deve acontecer até a colheita.
A solução não é de destruir a pessoa com atitudes más, mas não concordar com sua maldade e com seus atos destruidores. Num determinado momento, os dois vão ser separados e os seus destinos, certamente, serão diferentes, tendo com consequência os frutos daquilo que realizaram.
Muitos elementos ruins, seja de pessoas, como de seus atos, impedem o crescimento do bem. Toda a sociedade sofre. <img/r-760-600-80/conteudo/artigos/1433/semente.jpg>  <img/r-760-600-80/conteudo/artigos/1433/semente.jpg> Isto é comparado com a erva daninha, erva venenosa, que mata a todos que dela experimentam. É impressionante que não conseguimos impedir o seu crescimento.
O bem deve ser como uma semente pequena que nasce, cresce e fica grande. Apesar da presença do mal, muitas pessoas lutam para construir o bem e aquilo que valoriza a vida. É a meta de quem tem consciência de sua responsabilidade como pessoa, como cidadã e como cristã.
Estamos em tempo de muita impureza e corrupção moral, uma força como fermento que leveda a sociedade. É como putrefação, que contamina e destrói. A hora é de encontrar caminhos de construção, de luta por justiça e paz com esforço constante.



Fonte: www.bethania.com.br
Postado por: Yuri Guedes.

12 de julho de 2011

Você e Deus



Muitas pessoas, assoberbadas com as amarguras do caminho, não desejam mais pensar em Deus.Asseguram que se Deus existisse não permitiria tanto sofrimento na face da terra.Outras admitem a existência de Deus, mas estão certas de que ele não interfere na vida dos homens, deixando-os por conta do acaso.
Há, ainda, pessoas que se decepcionaram com os religiosos e por essa razão não querem mais saber de Deus.
São tantos os argumentos e tão distantes da realidade, que o Criador
nem leva em conta nossas infantilidades e continua regendo o universo
com justiça, amor e misericórdia.
No entanto, se você não acredita em Deus, isso não importa. O importante mesmo é que Deus possa acreditar em você.
Em verdade, você sempre está bem próximo de Deus, fazendo a sua parte
para a manutenção na harmonia do universo, mesmo sem se dar conta disso.
E ainda que não queira admitir, existe um vínculo muito estreito entre você e Deus.
Deus é o Criador.
Você, porém, pode colaborar na obra divina, na condição de co-criador.
Deus é o Pai.
Você, todavia, pode tornar-se genitor triunfante, contribuindo para o progresso do espírito em prol de todos.
Deus é o infinito.Você, sem embargo, pode, na sua finita posição, colaborar em prol da glória da vida nos corações que transitam na dor.
Deus é amor.
Você, entretanto, pode desdobrar os sentimentos e repartir as fortunas
da bondade que carrega, entre os necessitados que o cercam.
Deus é a perfeição.
Você, querendo, pode crescer, mediante o serviço nobre, lapidando suas
arestas, a fim de refletir-Lhe a grandeza no espelho da sua purificação.
Deus é a verdade.Você, desejando, conseguirá edificar a felicidade em toda parte, quando queira.
Deus é a harmonia.Você possui, igualmente, as melodias da excelsa beleza na pauta do
coração, podendo, também, cantar baladas de esperança e paz em seu nome.
Deus é vida.
Você não pode conceder a vida a ninguém, é certo, no entanto, poderá
salvar muitas vidas que perecem por falta de amparo e socorro.
Deus é a causa primeira.Você o traz dentro do coração. Desate-o e permita que em você a sua presença gere felicidade em derredor.


Postado por : Yuri Guedes.

11 de julho de 2011

Fazer o Bem por "Bem"


Uma pessoa não pode pensar em se esforçar por toda a vida em fazer aquilo que é considerado seu dever e ser fiel as suas promessas, pois não é possível "obrigar-se", a cada dia, a fazer alguma coisa, por mais nobre que seja (cedo ou tarde o equilíbrio ira se romper ate acabar em esgotamento nervoso), e porque quem faz o bem por obrigação, no fim das contas o faz mal. De qualquer forma, a virtude nada tem a ver com uma atitude psicológica forçada. O homem virtuoso, como lembra São Tomás, é uma pessoa que experimentou o gosto e o prazer da ação virtuosa ou a liberdade interior de fazer algo que o atrai cada vez mais. Justamente por isso, Agostinho reza: "Faze-nos amar, Senhor, aquilo que mandas”.



Postado por : Yuri Guedes.


7 de julho de 2011

A reconciliação exige aproximação



José do Egito, separado da família havia anos, voltou a se unir a ela num momento de necessidade. Ele, que havia sido vendido como escravo pelos próprios irmãos, precisou ter a primeira atitude de perdão. Nós também precisamos fazer isso.

José reconheceu seus irmãos, mas eles não o reconheceram. Ele havia se tornado um homem rico, vivia cercado de pessoas, mas o primeiro passo para se viver um momento de reconciliação é a privacidade. É isso o que tem faltado hoje em nossas casas. O espaço da reconciliação exige aproximação. A falta de perdão distancia a família. Se você está vivendo um momento em que precisa perdoar, é preciso restaurar sua casa. O primeiro passo para viver a reconciliação é a iniciativa de olhar novamente nos olhos.

Quando estamos de frente um com o outro, nos damos a conhecer. Não podemos dificultar o caminho do perdão. As nossas famílias estão ficando distantes dentro da própria casa, porque estamos nos esquecendo da importância do diálogo. Cada vez mais temos de investir tempo para falar de coisas do dia a dia. Você precisa olhar nos olhos do outro, chamá-lo para conversar.

Sabe quando o mundo vai perceber que o Reino de Deus está próximo? Quando este [Reino] começar dentro de sua casa.

Na Canção Nova aprendemos que uma família cresce e amadurece quando aprende a dar e a pedir perdão. A quem, na sua casa, você precisa dar perdão? A quem você precisa pedir perdão? Perdão é decisão, não sentimento. Não precisamos perdoar a quem nos dá flores; temos de perdoar a quem nos dá espinhos.

Para que o Reino de Deus aconteça na sua casa é preciso que você tenha a coragem de se reconciliar. Você vai ter de dar o primeiro passo de chamar a pessoa em questão para conversar. Se tivermos a coragem de ter o diálogo de cada dia, evitaremos a briga de cada mês.

Não podemos nos esquecer de que Jesus nos ensinou a rezar assim: “Perdoar as nossas ofensas assim como nós perdoarmos a quem nos tem ofendido”. Isso precisa acontecer dentro da sua casa.

Fonte: www.cancaonova.com
Postado por : Yuri Guedes

5 de julho de 2011

Dia 05 de julho de 2011, dia de:


Santo Antônio Maria Zacarias



Antônio Maria nasceu na rica família Zacarias, da tradicional nobreza italiana, na cidade de Cremona, em 1502. Era o filho único de Lázaro e Antonieta, e seu pai morreu quando ele tinha apenas dois anos de idade. Nessa ocasião não faltaram os pretendentes à mão da jovem viúva, que contava com dezoito anos de idade. Mas Antonieta preferiu afastar-se de todos. Tornou-se exemplo de vida austera, séria e voltada para a fé, dedicando-se exclusivamente à educação e formação do filho. E seu empenho ilustra a alma do homem que preparou para o mundo e para a Igreja.
Em pouco tempo, Antônio Maria era conhecido por sua inteligência precoce e, ao mesmo tempo, pela disposição à caridade e humildade. Contam os escritos que era comum chegar do colégio sem seu caro manto de lã, pois o deixava sobre os ombros de algum mendigo que estava exposto ao rigor do frio.
Ao completar dezoito anos de idade, doou toda sua herança para sua mãe, e foi estudar filosofia em Pávia e medicina em Pádua. Ao contrário dos demais estudantes, que pouco aprendiam e mais se dedicavam à vida de diversões das metrópoles, como em todas as épocas, Antônio Maria usava todo o seu tempo para estudar e meditar. Em vez de vestir-se como fidalgo, preferia as roupas simples e comportava-se com humildade.
Depois de formado, exerceu a medicina junto ao povo, cuidando principalmente dos que não tinham recursos. Conta a tradição que, além de curar os males do corpo, ele confortava as tristezas da alma de seus pobres pacientes.
Distribuía os remédios científicos juntamente com o conforto, a esperança e a paz de espírito. Finalmente, sua espiritualidade venceu a ciência e, em 1528, Antônio Maria ordenou-se sacerdote.
Com as bênçãos da mãe, que ficou feliz, mas sozinha, ele foi exercer seu apostolado em Milão. Ali, na companhia de Tiago Morigia e Bartolomeu Ferrari, fundou a Congregação dos Clérigos Regulares de São Paulo, cujos membros ficaram conhecidos como "barnabitas", pois a primeira Casa da Ordem foi erguida ao lado da igreja de São Barnabé, em Milão. Depois, com apoio da condessa de Guastalla, Ludovica Torelli, fundou também a Congregação feminina das Angélicas de São Paulo e criou o Grupo de Casais, para os leigos. Toda a sua Obra se voltou à reforma do clero e dos leigos, reaproximando-os dos legítimos preceitos cristãos.
Tendo como modelo são Paulo, era também um devoto extremado da santa eucaristia. Foi o padre Antônio Maria que instituiu as "quarenta horas de adoração ao Santíssimo Sacramento", e também o soar dos sinos às quinze horas para indicar a Paixão de Jesus na cruz.
Durante uma de suas numerosas missões de oração e pregação que efetuava na Itália meridional, foi acometido pela epidemia que se alastrava na região. Não tinha ainda completado os trinta e sete anos de idade quando isto aconteceu. Como médico que era, sabia que a morte se aproximava, voltou então para os braços da dedicada mãe Antonieta.
Ele morreu, sob o teto da mesma casa onde nasceu, em 5 de julho de 1539, e foi canonizado em 1897. Tendo em vista a criação do Grupo de Casais, santo Antônio Maria Zacarias é considerado o pioneiro da Pastoral Familiar na história da Igreja.

Postado por : Yuri Guedes